Rachel Zuanon é pesquisadora, designer e artista midiática. Atua na vice-coordenação do PPG Design, da Universidade Anhembi Morumbi (UAM), em São Paulo. Líder do grupo de pesquisa do CNPq Design: criação, linguagem e tecnologia.

Desde 1998 dedica sua pesquisa ao design de computadores vestíveis. Em 2010, funda e passa a coordenar o Sense Design Lab: laboratório dedicado ao design de interfaces físico-digitais e à realização de pesquisas teórico-práticas, projetos e produtos em meios interativos e emergentes (www.sensedesignlab.com). Em 2008, expõe “BioBodyGame – Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo #3”, na Mostra de Arte Gameplay, realizada pelo Itaú Cultural.

Finalista do FILE PRIX LUX 2010 com “NeuroBodyGame – Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo #4”, exposto na Galeria de Arte do SESI-SP. Em 2007, recebe o Prêmio Rumos Arte Cibernética pelo projeto “Objeto Relacional Biocibernético – Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo #2”. Em 2006, expõe “Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo”, na Mostra de Arte Primeira Pessoa, realizada pelo Itaú Cultural. Por esta pesquisa recebe, em 2003, a menção honrosa concedida pelo Rumos Itaú Pesquisa.

É sócia-diretora da Zuannon Soluções Integradas em Design, Interatividade e Tecnologia, empresa voltada ao desenvolvimento de projetos e soluções interativas para os ambientes digitais-interativos e físico-interativos.

Geraldo Lima é mestre em Design pelo PPG Design da Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Designer de moda e figurino, com especialização em Moda, Arte e Cultura pela mesma instituição. Graduado em Desenho Industrial pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Professor dos cursos Design de Moda e Negócios da Moda, na UAM.

Moda e arte estão presentes em sua trajetória, com criações de coleções para marcas como Alphorria e Disritmia. É responsável pela criação e desenvolvimento das coleções da marca Uranio. Pesquisa as relações dos deficientes visuais e a moda, e investiga a atuação dos sentidos em relação ao vestuário, com especial atenção para o tato.

Entre os figurinos criados para a dança sobressaem-se: “Criação”, do Grupo Corpo; “Z” e “dualidade.br” do Balé da Cidade de São Paulo. Em teatro, desenha os figurinos de “Pobre super homem”, direção de Luis Otávio Gonçalves, e “Don Juan”, direção de Roberto Lage.

Dentre suas exposições, destacam-se : NeuroBodyGame – Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo #4”, finalista do prêmio FILE PRIX LUX 2010, na Galeria de Arte do SESI-SP. “BioBodyGame – Computador Vestível Afetivo Co-evolutivo #3”, na Mostra de Arte Gameplay, realizada pelo Itaú Cultural. E a instalação “Olhar Tátil”, no Museu da Imagem e do Som – SP.